sábado, 19 de julho de 2008

Poema?...

Hoje deixo-vos um “poema” que não sei quando escrevi, até porque, ao contrário dos outros dois que já mostrei, não foi escrito de uma só vez… leiam e, se quiserem, digam-me o que pensam.


Porquê?

A eterna questão!
O Homem tem necessidade
de explicar a realidade!

Não conseguindo acreditar
que é o acaso que governa
esta sua busca de ordem eterna.

Com uma teoria tudo explica
até que pela experiência esta claudica.
De novo volta a tentar
até perceber que vai fracassar.

O ciclo recomeça
parece que paga uma promessa
A religião será solução?
nela tudo tem explicação!
Não, a religião não...
Não é com o coração
Que se pode explicar
A dúvida da razão.

Será esta uma dúvida sem fim?
Espero que sim!



Bom fds,
FATifer

75 comentários:

  1. Caro Pedro,

    Isto é um texto que escrevi há muito… dada a forma permiti-me a liberdade de lhe chamar “poema” mas repara que mesmo assim coloquei no título do post “Poema?...”
    Tendo em conta a tua formação e conhecimentos, compreendo que aches banal ou se calhar até, não merecedor do teu tempo mas então, não comentes pois poupas também o meu em te responder ;)

    Cumprimentos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  2. E não há título? Era mais por isso...

    ResponderEliminar
  3. Pedro,

    Se te referes ao título do “poema” o título (que está a bold/negrito) é “Porquê?”.

    FATifer

    ResponderEliminar
  4. Eu classificaria este teu texto não como apenas um poema (que aliás o referes com ponto de interrogação), mas sim como uma interrogação de ti para ti.

    É na dúvida e na procura da certeza que o homem continua a busca da resposta e encontra a sua motivação.

    A religião ou o mito só servem a resposta enquanto a ciência não lha rouba.

    :)

    ResponderEliminar
  5. Haja alguém que me compreenda!!

    Obrigado Pax, acho que não poderia ter explicado melhor…

    (Este texto é tão velhinho… deve ter sido a primeira coisa que tentei escrever em verso…)

    Beijinho,
    FATifer

    ResponderEliminar
  6. É uma interrogação. Está bom. Mas o que queres dizer com isto:

    A religião será solução?
    nela tudo tem explicação!
    Não, a religião não...
    Não é com o coração
    Que se pode explicar
    A dúvida da razão.

    Não consigo perceber. Outra interrogação, se não vos der muito trabalho para a Pax:

    A religião ou o mito só servem a resposta enquanto a ciência não lha rouba.

    Como assim?

    Boa noite, já é tarde para a metafísica.

    ResponderEliminar
  7. O Homem :

    Ingrato e Ambicioso quer Entender o palpável e o que sente mas não vê nem consegue tocar.

    O Homem não peca por buscar, mas insatisfaz-se por não conseguir e busca na dúvida alguma resposta, e o que encontra não é de todo agradável, encontra as suas próprias limitações, descobre que outros tentaram e melhor conseguiram, mesmo não o conseguindo em pleno.

    O Homem , sente-se pois sózinho no meio da sua estulta limitação e ganha a Humildade que tanto lhe falta. Aprende a ouvir o que outros Homens pensaram , escreveram ou pintaram, precisa de lhes entitular de Mestres iluminados, porque ainda estão cegos pela ignorância.

    O Homem que tenta ver mais além , quer libertar-se e consegue ... Começa por libertar-se de si próprio o que permite , pelo menos, um alargamento da perspectiva.

    E depois de liberto encontra mais do que esperava, destingue a Fé da superstição e do fanatismo, e encontra mais iguais a ele, a que chama de Irmãos.

    O Homem acompanhado de seus Irmãos só quer o bem alheio, não espera que lhe agradeçam nem retribuam com aplausos.

    Considerado um Louco por aqueles se alegram egoistamente com prazeres superflúos, e um Sábio pelos seus Irmãos toldados pelo Amor fraternal que sentem.

    As Dúvidas são outras agora para este Homem, já não precisa de explicar, ao aceitar está a entender ao mesmo tempo, e imerso na gratidão e na imensa palete de cores e ofícios tenta transpor o Sonho na Arte...

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  8. onde se lê "estão cegos" queria dizer - está cego *

    ResponderEliminar
  9. Pedro,

    Por opção própria não tenho conhecimentos para poder entrar num debate sério com alguém que, como tu, afirma ter por ocupação “Teologia & Filosofia”. Dito isto passo a explicar o que queria transmitir com a estrofe que transcreves.

    Não acreditando eu sequer em deus, é natural que as respostas dadas pelas religiões não me satisfaçam mas reconheço que, na sua maioria, têm respostas para tudo ou quase tudo. Ora sendo este “poema” uma reflexão (ou uma interrogação de mim para mim como disse a Pax) acerca da pergunta que julgo mover o Homem desde que é Homem: “porquê?”. A necessidade que temos de saber porque algo é assim, não nos contentando em aceitar que o é. Dado meu ponto de vista (reafirmo) só a ciência dará resposta, quando dá. A Pax interpretou muito bem esta minha ideia por isso disse o que lhe perguntas:

    “A religião ou o mito só servem a resposta enquanto a ciência não lha rouba.”

    E não é assim? Basta olhares ao longo da História e veres a quantidade de fenómenos considerados divinos antes de serem explicados à luz da ciência.

    Penso que fui claro. Se quiseres dar-nos a tua opinião, como sempre, é bem vinda.

    Cumprimentos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  10. Naturezas,

    (e depois não queres que te elogie!)

    Um comentário curto seria: “Pois…” mas eu não sou de comentários curtos (como acho que já deu para perceber).
    Começo pelo teu fim:

    “As Dúvidas são outras agora para este Homem, já não precisa de explicar, ao aceitar está a entender ao mesmo tempo, e imerso na gratidão e na imensa palete de cores e ofícios tenta transpor o Sonho na Arte...”

    Quantos chegarão a este patamar? Eu não acredito que lá chegue… (pessimista? Talvez… realista, com certeza).

    Mas vejo que entendeste o meu texto, deste a tua resposta (burilada como sempre). No geral acho que nos entendemos neste assunto embora os nossos pontos de vista não sejam exactamente coincidentes.

    Obrigado por mais esta tua contribuição neste nosso espaço.

    Beijinhos,
    FATifer

    ResponderEliminar
  11. Sim, os pontos de vista não têm obrigatoriamente de ser os mesmos desde que haja respeito e entendimento pela opinião dadas , bom domingo ;) Beijos Fatifer

    ResponderEliminar
  12. Pedro,

    Em complemento ao que o FATifer já disse, quero dizer-te também que tenho umas teorias muito próprias sobre determinados "fenómenos".
    Vou dar-te um exemplo:
    Quando o Homem começou a estudar o mundo que o rodeia, começou a encontrar fosseis de conchas e peixes no alto das serras.
    E agora?
    Como é que o mar chegou ao alto das serras se, agora, está a 500 km de distância e a um nivel 500 metros (por exemplo) mais abaixo?
    Aqui entra Deus. Como é que o Criador (a quem já tinham atribuido a criação da Terra) o fez?
    Fácil: O castigo divino pelo mau comportamento humano (educativo), uma boa familia (exemplar), um casal de cada especie de animais (que tinha de justificar os bichinhos todos que conhecemos), a construção de uma arca, chuva num diluvio durante 40 dias e a garantia da sobrevivência da especie, ao baixar o nivel da água, atravéz do Noé.
    Queres melhor?
    Actualmente sabemos que, em determinada época, a Peninsula Ibérica esteve quase completamente submersa (excepto a zona da Meseta Ibérica). AGORA sabemos. Agora já sabemos o porquê desses fosseis.

    Existem inumeros outros exemplos.

    O Homem não sabe viver sem certezas ou respostas.
    Enquanto a certeza não chega pela ciência, vai criando o mito, a justificação divina ou pelo sobrenatural.

    Se reparares, desde sempre foi assim em todas as culturas e todos os povos.

    Bom Domingo :)

    ResponderEliminar
  13. Pedro,

    "Bom" e, certamente, realista.

    ResponderEliminar
  14. Pedro,

    Tens uma teoria melhor para a invenção do diluvio?

    ResponderEliminar
  15. Invenção?

    A minha questão era sobre o "realismo".

    ResponderEliminar
  16. Pedro,

    Fui incumbido pela Pax de te responder pois ela agora não pode…

    Pois se às 3 da manhã já é tarde para metafísica, à 1 da tarde devias contribuir com algo de mais produtivo do que perguntas retóricas. Se não concordas com o facto de a Pax dizer que a teoria que apresentou sobre o dilúvio é realista porque não contrapores, em vez de te limitares a fazer a pergunta?

    Repara que não condicionamos o que dizem (desde eu sejam correctos)mas apreciamos que deixem as suas opiniões. Ora se analisares as tuas contribuições neste post, elas limitam-se a perguntas. Não disseste ainda o que pensas. Se calhar até devia agradecer-te por fazeres as perguntas para podermos dar as respostas mas… sou um ingrato que prefere comentar ideias a responder a perguntas secas (embora muito pertinentes).

    FATifer

    ResponderEliminar
  17. Desculpa lá mas tou distraído com a sporttv. Pelas minhas perguntas dá para perceber o que eu penso. E não me lembro de ter feito nenhuma pergunta retórica.

    ResponderEliminar
  18. Pedro,

    Não sei se desculpo e para quem está distraído com a sporttv respondes muito rápido!

    Concedo-te que as tuas perguntas não foram retóricas eu é que tentei ser irónico e não o consegui nesse caso – as minhas desculpas.

    Quanto às tuas perguntas transmitirem o que pensas, talvez mas temos de supor, intuir, concluir… seria mais agradável se o exprimisses num texto … desculpa novamente mas eu prefiro, o que queres? Deve ser esquisitice minha.

    FATifer

    ResponderEliminar
  19. isso tem uma explicação mais fácil do que o dilúvio: tenho o portátil no colo e o alarme de e-mail ligado.

    ResponderEliminar
  20. … ter o portátil no colo pode ser perigoso … com certeza já ouvistes a histórias sobre isso (ou então não, senão não o tinhas!)

    De qualquer modo proponho que fiques a ver a sporttv e voltes aqui quando quiseres partilhar connosco algo mais que perguntas…

    FATifer

    ResponderEliminar
  21. Pedro,

    Quando respondeste ao meu comentário com apenas "Está bom", eu achei que te referias ao assunto ao qual mais linhas dediquei, ou seja, a minha versao da origem da história do diluvio.
    Foi a minha "liberdade interpretativa" que, aliás, continuo a achar que terá sido a correcta.

    Eu gosto de partilhar o que penso e gosto que me façam o mesmo.
    Estás à vontade (como sempre) para, caso o entendas, especificar e nao só (como também já te foi referido), atirares com perguntas ou palavras que, sinceramente, eu nao conseguiria garantir o que pretendiam.

    Tens ou nao uma versao melhor da invençao humana sobre o diluvio?

    ResponderEliminar
  22. Ena as festanças que eu perco aos fins de semana...ao menos ligavam-me ou enviavam-me uma sms para eu vir até cá a correr...e eu que AMO uma boa picardia. Fdx não há direito :).

    Seja como for, gosto dos teus poemas...principalmente a parte de que "não é com o coração que se pode explicar a razão"...olha, eu que o diga eu que o diga. Agora até li algures que depois de ser a mulher perfeita para alguém...neste momento seria apenas o fruto de uma mixagem qualquer :). É bem! O tempo faz com que as coisas percam importância...pena é que há coisas que nem no seu tempo tiveram importância AHAHAHAHHA. Pronto ok...desculpa lá usar aqui o teu espaço para isto ;).

    Abreijinhos e não se esqueçam de me chamar quando for assim :)

    ResponderEliminar
  23. Invenção do dilúvio que está descrito no Génesis? Esse, segundo sei, não é inventado. Há mais algum?

    ResponderEliminar
  24. Pax e Fat...

    Deixem lá o Pedro comentar muito que a foto é giraça...

    Pedro queremos lá saber do Génesis, queremos é saber se a foto é tua...só naquela da amizade :)!

    Abreijos

    ResponderEliminar
  25. Pedro,

    Achas que nao é inventado?!

    Acreditas que uns dias de chuva mataram a populaçao mundial e o Noé meteu os leoes ao lado das zebras e os ratitos ao lado dos gatos, dos passarinhos e das libelinhas?
    Deve ter sido uma festa!
    Pena que quando acabou o diluvio se esqueceram que eram todos amigos e começaram a dar umas trinquinhas uns nos outros.
    :)

    ResponderEliminar
  26. Afrodite,

    Nós (também) gostamos das opinioes do Pedro.
    Se ainda nao viste, vai lá dar uma espreitadelas nos comentários do "gaja".
    ;)
    Beijos.

    ResponderEliminar
  27. Se eu acho? Há várias narrativas orientais com pontos de contacto com o dilúvio bíblico. O mais correcto é a hipótese de um dilúvio naquela região elevado a tradição universal.

    ResponderEliminar
  28. E Afrodite, sim a foto é minha mas não costumo fazer amizade com quem nasce de genitais caídos no Oceano, amante de Ares, mãe de Deimo e Fobo, causadora de guerras em Tróia e ladra de crianças.

    ResponderEliminar
  29. Cara deusa,

    Por acaso até te liguei neste fds não foi é por isto :P mas para a próxima eu aviso-te ;)

    Fico contente que os meus “poemas” te agradem.

    E não tens de pedir desculpa, tu podes dizer o que quiseres neste que é o nosso espaço mesmo que este seja um texto que escrevi. Sim porque tu dizes alguma coisa, ao contrário de outros…

    Abreijos dos teus,
    FATifer

    ResponderEliminar
  30. Afrodite,

    Como podes ver o Pedro é uma simpatia por isso gostamos tanto de o ter por aqui…

    FATifer

    ResponderEliminar
  31. Fatifer, como é que eu posso dizer alguma coisa se fico esmagado com poemas desta grandiosidade? Mais vale estar calado ou interrogar. Não posso comentar algo que está para além da minha compreensão, o que faço é tentar alargá-la recorrendo à sua sapiência tanto na temática que aborda, como a técnica de versificação na esteira de Whitman e Kahn. Para não falar da construção narrativa: fez-me lembrar os Imortais, ficção de Borges, em que há uma interrogação, uma partida, um sofrimento e um recomeço, a Oitava de dupla combinação rimíca, faz um retrato brilhante de Empédocles e Pitágoras e ao dístico final a minha alma treme. Só me resta agradecer-lhe por partilhar comigo tamanho momento da Língua Portuguesa. Pessanha e Antero, certamente, aplaudem dos túmulos a sua graciosidade poética. Mais uma vez, obrigado. Isto é um elogio, não um comentário. Perdoe-me.

    ResponderEliminar
  32. Pedro é pena que não faças amizade com pessoal que é cuspido de genitais...mas eu não cai de genitais, foi cesariana...vês, estou safa :)...é que sou tão limpa tão limpa que não quis sair pelo genital que larga urina. Ah pois é! Não sou como os comuns mortais ;).

    Abreijos

    ResponderEliminar
  33. Pedro,

    (Eu quando gosto do tema só largo quando tem de ser).

    Entao isso prova que o diluvio existiu do modo como no lo impingiram?
    Bichinhos, castigo, recompensa.
    Uma cheia no Oriente resultou no fim da humanidade...
    O Noé era o único a ter um barco e os animais lá dentro eram amigos uns dos outros.
    E a familia dele?
    Quando pousaram no fim do diluvio, uns ganharam caracteristicas asiáticas, outros tornaram-se negros e outros louros.
    Acho que esta história tem mais buracos que muitos queijos.

    :)

    ResponderEliminar
  34. Fatifer...de uma coisa podes estar certo, há uma certa arte em escrever assim e os politicos aprendem-na na perfeição...claro está que não estou a falar da tua escrita...queres ver um exemplo? Aqui vai porque sei que responderás simmm ohhh simmm:

    A abordagem da problemática deixa-me deveras esmagado não pelo enfase da temática mas pela originalidade da mesma, o pressuposto que que existe e que poderá possivelmente e abstractamente definir a teoria de que existe, deixará bem patente que basicamente é inevitável que isso aconteça. Portanto e sem me querer alongar nesta demorada verbalização de ideías com sentido ou talvez não, deixo como conclusão que apesar dos apesares, ela é concretizada magnificamente e pode muito bem ser suportada por um Pitágoras qualquer.

    Eheheheh dá para dizer tanto sem dizer nada...é giro isto! ;)

    Abreijossssss meu poeta apreciado por esta húmilde Deusa

    ResponderEliminar
  35. Se eu acredito que a Terra é plana e na teoria de Ptolomeu, não haveria de acreditar na Arca de Noé? Ora essa...

    ResponderEliminar
  36. Pedro...

    Também não te preocupes com isso "E Afrodite, sim a foto é minha mas não costumo fazer amizade com quem nasce de genitais caídos no Oceano, amante de Ares, mãe de Deimo e Fobo, causadora de guerras em Tróia e ladra de crianças."...que eu não costumo fazer amizade com pessoas que me respondem a uma pergunta com outra...só porque é aborrecido. Imagina que te convidava para um gelado e dizia:
    - Pedro vai um geladito?
    - Porquê? Tu queres?
    Mais...
    - Pedro estás bonzinho?
    - Porque perguntas? Tu estás?
    e mais ainda...
    - Pedro que cheiro é este? Cagaste-te?
    - Achas? Porque dizes isso?
    E eu pah...como detesto injustiças e não suporto ficar com as culpas já me estou a ver de joelhos a cheirar-te o cú e isso não é muito bonito de imaginar...portanto deixemos esta "relação" ou "ralação" pelo virtual.

    Desculpa lá ter dito que a foto era bonita, não queria ofender! Estamos sensíveis Dom Pedro!

    Abreijinhos e não amues...a malta é porreira...se bem tratadinha, claro!

    ResponderEliminar
  37. Pedro,

    Já nem digo nada...
    Às tantas também acreditas que o Adao deu uma costela para fazer a Eva e (algumas geraçoes mais tarde) tu nasceste.

    :)

    ResponderEliminar
  38. Mulheres a cheirarem-me o cu é coisa que nunca tive. Lá está, isto de estar sempre a perguntar e a perguntar faz com que tenha pouca foda. Paciência e amuanço para me curarem a depressão.

    Pax, qual é o problema? Eu até acredito que o Postiga este ano faz 20 golos e que o Sporting vai ser campeão europeu sem dificuldade.

    ResponderEliminar
  39. Vês nem sabes o que perdes...é do melhor :). Andas deprimido? Hmmmm...Anda meio mundo assim, infelizmente! É a doença do século e passamos-lhe ao lado, não lhe damos a devida importância. Mas olha que foda ajuda a curar a depressão! E com essa carinha só não tens porque não queres...ou então és exigente, que acho muito bem! Homem que é Homem tem de ser exigente!

    Uii em futebol não me meto...peço desculpa! Não gosto mesmo nada :).

    Abreijinhos e olha, se com a conversa te ajudar a depressão...continua a perguntar.

    ResponderEliminar
  40. Ando pá, ando mesmo triste. A única maneira de eu falar com mulheres é assim, nas caixas de comentários de blogues. Sou incapaz de me aproximar de vocês, eu nem sou exigente, até gordas, ciganas ou pretas da Margem Sul marchavam, mas elas não me ligam nenhuma e o onanismo ao fim de trinta anos cansa.

    ResponderEliminar
  41. Hmm cheiran-me a ironia, as tuas letras.

    De qualquer forma se te apetecer conversar a sério...sente-te à vontade!

    ResponderEliminar
  42. Sua excelência sr. d.Pedro,

    Não o perdoo-o. Desde o princípio que solicitei que as suas contribuições fossem construtivas mas, em vez disso, só temos tido de si perguntas, ironias, pseudo intelectualidades e vulgaridades. Pode meter o seu elogio onde quiser. Ninguém pediu que comentasse, nem que gostasse. Vá gozar com outro pois, vossa senhoria não merece o meu tempo. Há muito que aprendi que seres, como vossa senhoria, gostam é que vos respondam por isso a partir deste momento não vou responder a nada do que disser aqui.

    Adeus Pedro,
    FATifer

    ResponderEliminar
  43. Já não se pode elogiar. Nem a umas décimas de despedida tive direito. É logo uma análise bruta e verdadeira da minha pobre pessoa. E, por acaso, tinha mais uma pergunta: se eu escrevesse um poema assim será que alguma moça de boas famílias aceitaria ir tomar um café comigo? Lá está: será esta uma dúvida sem fim? Temo que sim!

    =( ...

    ResponderEliminar
  44. Pedro,

    "Eu até acredito que o Postiga este ano faz 20 golos e que o Sporting vai ser campeão europeu sem dificuldade."

    Entao?
    Desistes assim da conversa sobre o diluvio sem ao menos me dares um unico argumento que me faça imaginar que o Noé teve mesmo um estaleiro naval?!
    Nao estava à espera :(

    Eu gosto de encontrar pessoas que acreditam em coisas diferentes de mim e, principalmente, quando acreditam ao ponto de terem (ou acreditarem que têm) argumentos que o sustenham. Tu tens?

    :)

    ResponderEliminar
  45. E não é um bom argumento? Se eu acredito naquilo do Postiga, menos parvo me parece que o Noé tenha feito uma barcaça zoológica. Tem lógica ou não?

    Se não tiver é porque os lábios da tua amiga me assustaram e, como disse, as mulheres, tal como grandes génios e sábios e argumentos fortíssimos, assustam-me, etc, etc, etc.

    ResponderEliminar
  46. Pedro...

    Lábios??? Quais lábios??? A quais te referes??? Assustam? Porquê? Que te fazem lembrar? A que tipo de memórias te levam? Que tens? Estás bem? Precisas de ajuda? Que foi? Podemos ajudar? E com os lábios que farias? Arca de Noé? Eu seria uma das escolhidas para lá ir dentro? Quem sabe? Eu? Talvez...

    ResponderEliminar
  47. And goes on...

    Mas apeteceu-te porquê? Foi de cheirar cus? O meu não, pois não? Lábios? Ajuda? Talvez, porque não? Ajudas-me? Porque não? E se me ajudares? Porquê? Memória, o que é isso? Recordações, elas existem mesmo? E se existirem, levam-me para onde? Para os lábios? Talvez, porque não?

    ResponderEliminar
  48. Pedro,

    "Se eu acredito naquilo do Postiga, menos parvo me parece que o Noé tenha feito uma barcaça zoológica. Tem lógica ou não?"

    Não. Não tem lógica e a comparação é igualmente parva.
    Mostra, de novo, o teu interesse em fugir de um assunto que, está mais que visto, não sabes como defender.

    "porque os lábios da tua amiga me assustaram e, como disse, as mulheres, tal como grandes génios e sábios e argumentos fortíssimos, assustam-me"

    Vou respeitar e aceitar a tua fraca (para não dizer inexistente) argumentação.
    Sou assim: tento respeitar toda a gente, independentemente das suas opções.
    Fica descansado, respeito também os homens que têm medo de mulheres ou dos seus lábios. São gostos, opções, preferencias e cada um sabe de si.
    Eu também prefiro os lábios de homens, compreendo-te perfeitamente.

    ResponderEliminar
  49. "Mas apeteceu-te porquê? Foi de cheirar cus? O meu não, pois não? Lábios? Ajuda? Talvez, porque não? Ajudas-me? Porque não? E se me ajudares? Porquê? Memória, o que é isso? Recordações, elas existem mesmo? E se existirem, levam-me para onde? Para os lábios? Talvez, porque não?"

    Como sou uma mulher de uns grandes ovários não fujo nem a perguntas nem a respostas, por isso toma lá e espero que te divirtam.

    Apeteceu-me porque felizmente faço tudo o que me apetece, sem preconceitos ou medos...muito menos sustos! Cheirar cús, o último que cheirei tinha fraldas e foi para saber se tinha presentes para mim! O teu...se precisares e tiveres fraldinhas, porque não? Sou uma altruista, ajudo o próximo sem medos (já te falei dos meus grandes ovários?)! Lábios...pois, referiste-os várias vezes! Se ajuda ou não...dizem que sim! Porque sim! Ajudo, como disse sou altruista! Porque sim! Se te ajudar ajudei, sem esperar nada em troca...é a cena do altruismo outra vez! Porque sim, dá-me gozo! Memória é a faculdade de conservar e reproduzir as ideias, imagens ou conhecimentos anteriormente adquiridos;
    a lembrança de qualquer coisa ou alguém;
    reminiscência;
    aptidão para recordar especialmente certas coisas;conjunto de funções psíquicas pelas quais temos consciência do passado como tal, que inclui a fixação, a conservação, a lembrança e o reconhecimento dos acontecimentos. Recordações...eu tenho muitas, tu? Não? Levam-te a qualquer lado, se não tens cuidado, até à merda! Para os lábios? De certo não!

    Pax...homem bonito e inteligente era pedir muito. Fico-me pela admiração da fotografia :)...o resto...e tudo o vento levou!

    Vamos escrever sobre o mito do homem bonito e inteligente??? :)

    Abreijos a quem de direito

    ResponderEliminar
  50. Afrodite, nem toda a gente pode servir como exemplo para representar o mito do "homem", quanto mais o do "bonito" ou "inteligente".
    Lol.

    Beijos.

    ResponderEliminar
  51. Pax,

    A minha ignorância nasce da sua que é bem maior. Porque eu não sei quem é que lhe anda a ensinar Lógica, mas livre-se disso, por Deus ou por Cão (Cão era uma expressão usada pelos gregos para que não jurassem sempre pelos deuses - já sei que tenho de lhe explicar tudo). É que a Lógica, apesar da minha fraca inteligência, é um assunto do qual eu percebo um bocadinho. Até lhe podia explicar em detalhe, com esquemas e tudo, mas como você não me paga, mando-lhe ler o que qualquer aluno de um primeiro ano de faculdade devia ler: Sintassi Lógica de Carnap, Filosofia Analítica, Claude Imbert, Lógica Matemática, Quine. E depois veja lá se percebe a minha argumentação. É que a sua pergunta foi tão parva que o único modo é responder-lhe com parvoices também. Mas vá, um bocadinho de Camus que, apesar de francês, era mais inteligente do que eu: Nunca vi ninguém morrer pelo argumento ontológico. [...] Qual deles, a Terra ou o Sol, gira em redor do outro, é-nos profundamente indiferente. A bem dizer, é um assunto fútil. (agora use um método do argumento dedutivo para chegar ao que eu quero dizer com isto)

    O que eu acho maravilhoso nisto, é ser alguém tão iletrado como você a analisar aquilo que eu escrevo cheia de assumpções, de suposições e de uma ignorância a toda a prova. Mas é normal, Gulliver depois de viver em Lilliput, acostumou-se a considerar-se gigante. E, em Londres, gritava a pessoas do seu tamanho para que se afastassem com medo de as esmagar. Mas, como diz o outro, o burro sou eu. E se você o diz, então, está mais do que confirmado

    Afrodite,

    Ad Maronis mausoleum
    Ductus, fudit super eum
    Pium rorem lachrymae.
    Quem te, inquit, reddidissem,
    Si te vivum invenissem,
    Poetarum maxime!

    Δεν ελπίζω τίποτε. Δεν φοβούμαι τίποτε. Είμαι λεύτερος.

    Mas cada um sabe de si. Passem bem, que eu não vos incomodo mais com a minha fealdade, vulgaridade, burrice, etc, etc, etc. Vocês sabem muito e são lindas e têm grandes ovários. Eu ainda ando a aprender a mudar fraldas e espero que a minha filha tenha grandes ovários como vocês. Mas um bocadinho mais inteligentes.

    ResponderEliminar
  52. Pedro,

    "a Lógica, apesar da minha fraca inteligência, é um assunto do qual eu percebo um bocadinho."

    Eu sou uma crente mas do tipo S.Tomé: acredito no que vejo e, em ti, nunca vi. (Refiro-me à parte da Lógica, não a da tua fraca inteligência).

    "Até lhe podia explicar em detalhe, com esquemas e tudo, mas como você não me paga, mando-lhe ler (...)"

    E para mandares em mim, pago?

    "a sua pergunta foi tão parva que o único modo é responder-lhe com parvoices também."

    Qual pergunta? Aquela de se és capaz de argumentar a favor da existência de um diluvio e da arca do Noé?
    É que foi a única pergunta que te fiz desde o inicio (e à qual nunca soubeste responder).
    Até eu, que não acredito nisso, ao contrário de ti, teria conseguido arranjar um argumentozinho que pudesse sustentar um simples ponto de vista.

    "Qual deles, a Terra ou o Sol, gira em redor do outro, é-nos profundamente indiferente. (...)agora use um método do argumento dedutivo para chegar ao que eu quero dizer"

    Só podia.
    No tempo da Inquisição terias tido um bom emprego.
    (Gostaste do método do argumento dedutivo que eu usei?)

    "O que eu acho maravilhoso nisto, é ser alguém tão iletrado como você a analisar aquilo que eu escrevo cheia de assumpções, de suposições"

    Sério?
    Como é que sabes o meu grau de "iletragem"? Estrás tu a praticar a análise das tais assumpções ou suposições? Ou, porventura, achas que as palavras "caras" que escreves dão sentido ao que dizes?
    Desengana-te: não dão.

    Concluindo:
    Se queres uma sugestão (que ordens não dou), lê os teus comentários desde o inicio e, certamente, escreverás com mais convicção essa do "o burro sou eu".
    Pedro, desde a primeira frase que trocamos que tentei que transmitisses o teu raciocinio. Se preferiste o caminho do insulto ou da vulgaridade o problema é teu.
    Como disse outro grande filósofo: as acções ficam com quem as pratica.

    ResponderEliminar
  53. Com toda a convicção: o burro sou eu! o burro sou eu! E não é nada iletrada, que ideia. Essa da Inquisição! E as palavras caras uau! Quais? E que filósofo é que disse isso? Tem a certeza? Isso não é, antes, uma adaptação popular da Ética a Nicômaco? Tantas perguntas! Deve ser da burrice.

    Só mais uma coisa, ao que eu sei Camus nem era um verdadeiro filósofo, mas eu sei tão pouco, e não acreditava em nada "disso" também, no entanto, fez esta observação: Galileu, que possuía uma verdade científica importante, dela abjurou (deve ser cara esta) com a maior das facilidades deste mundo, logo que tal verdade pôs a sua vida em perigo. Fez bem, em certo sentido.

    Sobre o Noé, eu respondi-lhe: é um facto histórico a existência de um dilúvio naquela região, o resto é simbólico, a maldade do mundo era tal que exigiu o tal castigo, estão implicadas noções de justiça e misericórdia divina, a malícia do homem e a salvação concedida ao justo (Hb, 11,7). A narrativa é demasiado complexa, e mais complexa se torna devido aos problemas de tradução (para si não, que deve dominar o hebreu antigo e o grego bíblico como ninguém), e certos desajustamentos e repetições devem-se à mistura de duas tradições de épocas diferentes. E o dilúvio, repare bem, é como um regresso ao caos primitivo com vista à recriação sem a imagem de Deus no Mundo.

    Portanto, a questão não pode ser colocada em termos de "Fé", todavia, longe de mim duvidar de quem dá mostras de saber tanto. Não a vou maçar e vou cancelar a subscrição. Você tem demasiadas coisas para me ensinar, e eu não tenho capacidade para apreender um tão grande oceano de sabedoria.

    ResponderEliminar
  54. Pedro,

    Vês?
    Eu até calculava que fosses capaz de dizer algo em defesa da tua tese.
    Pena que metas tanta "palha" pelo meio e que te seja tão dificil decidires-te a partilha-la.

    "Galileu, que possuía uma verdade científica importante, dela abjurou (deve ser cara esta) com a maior das facilidades deste mundo, logo que tal verdade pôs a sua vida em perigo. Fez bem, em certo sentido."

    Por isso te disse que terias um bom emprego na Inquisição. Certamente serias bom a fazer abjurar a verdades cientificas.

    "(para si não, que deve dominar o hebreu antigo e o grego bíblico como ninguém)"

    Como ninguém só domino a arte de não achar que sou um ser superior a todos os outros.

    "eu não tenho capacidade para apreender um tão grande oceano de sabedoria."

    Se não tivesses metido estes teus detalhes desnecessários no texto, (e tão profusamente espalhados em quase todas as frases) eu diria que o teu comentário teria sido, realmente, muito bom.
    Assim... pois considero que foi o melhor que deste.

    Pena não estares interessado em debater, seriamente, o seu conteúdo.

    ResponderEliminar
  55. Ouça, não tem nada a ver com a Inquisição. Você pode-me perguntar: acredita factualmente na narrativa bíblica do Dilúvio? Não. Mas uma coisa é ser factual, outra coisa é ser verdadeira. E nada tem de ser factual para ser verdadeiro. A Ciência é também uma questão de Fé, tudo na vida é uma questão de Fé, afinal ninguém tem a certeza de que Sol nascerá amanhã. O que Camus quer dizer é que ninguém morre pelo Sol girar em volta da Terra ou seja como for, mas muita gente morre, suicida-se por se cansar da vida. Curiosa, também, essa achega da superioridade.

    ResponderEliminar
  56. "Afrodite,

    Ad Maronis mausoleum
    Ductus, fudit super eum
    Pium rorem lachrymae.
    Quem te, inquit, reddidissem,
    Si te vivum invenissem,
    Poetarum maxime!

    Δεν ελπίζω τίποτε. Δεν φοβούμαι τίποτε. Είμαι λεύτερος."

    Foi bonito, dedicares-me palavras que não em português...provavelmente mandaste-me à merda em grego e em latim. Ou não ;)...Pois infelizmente não sei nenhuma das línguas com que me escreves, também não tentarei decifrar porque se não as escreveste na nossa língua é porque assim desejas. Não sei que me queres dizer portanto. Quanto à inteligência dos meus ovários...bem...é verdade que por vezes os meus neurónios descem para fazer raves por lá mas coincidência ou não, nessas alturas é quando menos sentido faço. Vejo que não sou a única porque enquanto te leio não deixo de pensar que os teus neurónios parecem ter abandonado o seu habitat natural para habitarem os testiculos. Boas raves devem fazer com os espermatozóides.

    Não me parece de bom tom que julgues pessoas que não conheces, chamei-te algures cavalheiro e não machista...temo ter de retirar este belo termo...a Pax é sim uma pessoa culta e inteligente, felizmente que aqui tenho o prazer de a conhecer e que aceitou partilhar comigo um blog. Não sei que te leva a sentares-te dai do alto e a julgares tudo e todos como inferiores...não entendo o porquê...tenho teorias mas prefiro não faze-lo! Tenho já uma ideía pré-concebida sobre ti, que nos brindaste com ela...é feio faze-lo, eu sei, sem se conhecer a essência mas...desde o teu primeiro comentário que criticas o que lês mas não construtivamente que isso até agradecemos. Chegaste, entraste e destruiste (ou tentaste)...continuo sem entender o que te move mas se te faz feliz força...é para isso que vivemos! Pena é que não tentes conhecer a fundo as pessoas atrás das palavras e que julgues as suas inteligências ou capacidades seja no que for. Já entendi que entendes de filosofia...ou quem sabe de teologia...sabes tu do que nós entendemos? Quais as nossas valências? Podias aprender...já aprendi algumas coisas contigo mesmo assim.
    Se te apraz este tipo de picardia...não desistas, continuemos! Se não era isso que pretendias...ainda vais a tempo! Se queres desistir...tu é que sabes..se quiseres dou-te um dos meus ovários inteligentes!

    "Nós não desejamos nada! Nós não tememos nada! Eu sou livre!" - Nikos Kazantzakis

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  57. "Todos os homens morrem, nem todos vivem realmente!"

    ResponderEliminar
  58. Só mais um apontamento...por acaso poemas como este que leste, valem cafézinhos com mulheres boas, bonitas e inteligentes...é fruto de um ser fora do normal, com um coração enorme, uma pessoa fantástica! Acertaste nessa...

    ResponderEliminar
  59. Mais uma que é de borla...devias ter ido ver o Panda Kung Fu, aprende-se umas coisinhas sobre humildade...gostar do próximo, aceitar as diferenças dos outros...e acreditar em alguém que à partida não vale nada ;). Olha que te tinha feito bem à depressão...digo eu digo eu...que sou só um ovário inteligente e que esperas que a tua filha seja melhor...eu também...é bom sinal!

    ResponderEliminar
  60. Ó minha querida, vens-me tu falar de humildade, logo tu, a do "fico-me pela foto, etc". Ora se quem começa com o insulto directo não sou eu, eu é que sou arrogante? Por fazer umas perguntas? Até comparei o homem a grandes génios e ele chateou-se. Declaro-me burro, em comparação com vocês ou com qualquer símio, e sou arrogante? Está bem. Bom, vai a outro tradutor, que esse não acertou, a frase não está no plural - aproveitas para dar uma vista de olhos no Zorba e na Ascese. Quanto a estes poemas darem cafés e tal... bem, nem sempre, nem sempre... E obrigado pela citação, até porque já não vejo o braveheart há uns tempos.

    ResponderEliminar
  61. Pedro...

    Minha querida só na cama e aí só entra quem eu quero! Aqui ainda vou deixando que entre qualquer coisa...

    Húmilde? Claro! Há dúvidas? Procura conhecer melhor quem criticas...não te escondas por trás de frases feitas e de autores mortos...não apontes um dedo, ficas com 4 apontados a ti!

    Queres tentar de novo? Por mim na boa...sou chamada a Mulher das Causas Perdidas mas nunca desisto!

    Olá Pedro...muito bem vindo a este espaço, agradecemos todos os teus comentários construtivos e tudo aquilo que possa trazer de bom às nossas vidas aqui neste mundo virtual. Aparece sempre que quiseres...é um prazer. Já agora, se és tu na foto, sim senhor, muito bem parecido.

    Abreijos e uma boa noite

    P.S. - Fico à espera que me indiques um melhor tradutor que realmente o que utilizei tem falhas...como tudo na vida, infelizmente!

    ResponderEliminar
  62. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  63. NOTA:
    O comentário acima foi eliminado por não estar de acordo com o código de conduta que estabelecemos para este espaço, onde somos nós que fazemos as regras.

    O autor “pedro” deveria ter palavra e ir embora, como tantas vezes afirmou.Quem tiver o desprazer de ler todos os comentários que deixou neste post concordará que, muito pacientes fomos nós.

    Cabe-me acrescentar que este ser é a prova que ser culto não implica ser bem educado e, aqui , não se atura má educação e arrogância. É triste saber grego, latim e ter lido tão grandes pensadores mas não saber como se comportar em sociedade.

    Voltamos a reafirmar que, agradecemos todas as contribuições construtivas. Quem não gosta do que lê por aqui, pode e deve manifestar-se, apontar erros ou falhas que, desde que o faça de forma construtiva, com certeza levaremos em conta a sua opinião.

    Obrigado a todos aqueles que têm comentado por aqui. A todos os “Pedros” se se quiserem dar ao trabalho de escrever saibam que o destino dos vossos comentários será o mesmo que teve o que estava acima, assim poupem o vosso tempo e o nosso.

    FATifer

    ResponderEliminar
  64. FATifer,

    Como disse outro grande filósofo, "E Mainada!".
    :)

    ResponderEliminar
  65. Fat...

    Ok ok mas nem li :)...fdx...fiquei com uma lacuna na vidinha :)!

    Abreijos

    ResponderEliminar
  66. Afrodite,
    Eu tinha copiado :)

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  67. Pode ser que tenha uma surpresa! Palhaço esquizofrenico!!!

    ResponderEliminar
  68. Afrodite,

    Lol.
    Acho que deixou bem definida a sua imagem.

    (Depois mostro-te o texto)

    Beijos :)

    ResponderEliminar
  69. Pax...

    O ser genuina tem o seu preço ;).

    Abreijos linda

    ResponderEliminar

Este local serve para largar comentários, daqueles, dos inteligentes e com sentido...todos os outros, que consideremos que não cumprem esses critérios, serão eliminados prontamente. Mais...anónimos amigos por favor identifiquem-se, já basta não conhecermos a cara...pelo menos o nome/nick.
Desde já o nosso agradecimento, voltem sempre!

Ah! E a pedido da nossa estimada leitora Van, passamos a avisar que a leitura deste blogue engorda!